Anterior

ANTERIOR

Evangélico morto em assalto a ônibus é enterrado no Rio de Janeiro

09/01/2020

Próximo

PRÓXIMA

Flordelis: Justiça marca depoimento de deputada

16/01/2020

Giro pelo Brasil

Com má qualidade da água, consumo de galões aumenta 50% no Rio

Dado é do Sindicato da Indústria da Água Mineral, que registrou também o aumento de 30% no consumo de garrafas de água mineral. Nos supermercados, população se queixa da baixa oferta do produto - só encontram garrafas pequenas e com gás

Fonte: O Dia / Foto: Divulgação (Internet) | 14/01/2020 - 10:00
Com má qualidade da água, consumo de galões aumenta 50% no Rio

Uma semana após moradores de diversos bairros da cidade denunciarem a má qualidade da água que está chegando às torneiras, as garrafas de água mineral viraram artigo de luxo nas prateleiras dos supermercados.

Na Tijuca, na Zona Norte, a advogada Vera Barros peregrinou em busca de água nos supermercados do bairro. Mas a procura foi em vão. "Não tinha em mercado nenhum daqui da região da Rua Uruguai. Só tem água com gás. E, mesmo assim, passou de R$ 2,49 pra R$ 4", reclamou.

O mesmo aconteceu com o jornalista Igor Cardoso, que também reside na Tijuca. Não encontrou água mineral disponível em nenhum dos dois supermercados que procurou. No Centro, a auxiliar de escritório Tânia Maria, de 57 anos, só encontrou água com gás. "A água da torneira continua saindo com gosto péssimo. Daí, a gente vem comprar a mineral e também não encontra", disse ela.

O aumento na procura é justificado por dados do Sindicato Nacional da Indústria de Água Mineral. O consumo de garrafas d'água cresceu 30% e o de galões teve um aumento de 50%.

Em Paciência, na Zona Oeste, a estudante Jaqueline Leocádio, de 37 anos, conta que a água já não chega mais tão turva à sua residência. Mas o odor ainda é forte. "Até no banho você sente o cheiro de terra", contou.

Procurada, a Cedae informou que o carvão ativado que deverá ser usado na Estação de Tratamento do Guandu deve chegar hoje. E, a partir da próxima semana, a companhia adotará, em caráter permanente, a aplicação do produto. "Isso será feito para garantir que a geosmina (substância produzida pela bactéria de uma alga) seja retida", informou em nota. A empresa reafirma que a substância não faz mal à saúde.

População deve registrar problemas

Professor do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental da Faculdade de Engenharia da Uerj, Gandhi Giordani explica que a população deve continuar evitando o consumo de água que tenha qualquer cheiro ou sabor. "Se tem cor ou odor, não é potável", diz. "Além de ferver, é importante trocar as velas dos filtros. Devido ao tempo de uso, algumas podem estar saturadas ou inadequadas", ensina. O professor também indica que a população afetada registre reclamações no Serviço de Atendimento ao Cliente da Cedae. "Tem que registrar para evitar subnotificações", completa.

DICAS PARA EVITAR CONTAMINAÇÃO

ÁGUA INDUSTRIALIZADA

Priorize o consumo de água mineral, seja em garrafas ou em galões comprados com revendedores confiáveis. Para aqueles que não tiverem condições de comprar a água industrializada, a recomendação é filtrar e ferver o líquido antes de qualquer uso.

BANHO E ESCOVAÇÃO

Como a investigação sobre o que está causando a turbidez e cheiro na água ainda está em andamento, a indicação é ferver o líquido até para tomar banho e escovar os dentes. "Dependendo do estado da água, escovar os dentes pode gerar contaminação", ensina o professor Gandhi Giordano.

ATENÇÃO AO RÓTULO

Como houve aumento no consumo, é preciso ficar atento para não comprar água falsificada. Especialistas alertam para detalhes como a obrigatoriedade do rótulo nos galões. "Tem que conferir se o galão possui o selo de empresas produtoras de água mineral".