Anterior

ANTERIOR

Witzel diz que seu impeachment `mata a democracia´: 'Quem serão os próximos?'

24/09/2020

Giro pelo Brasil

Dólar à vista sobe até R$ 4,3830 com retomada da tensão com coronavírus

Avanço no mercado doméstico vem após a defesa do dólar forte pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, que não considera o câmbio nervoso, e dos dados de serviços no País em dezembro melhores que o esperado

Fonte: O Dia / com informações Estadão Conteúdo / Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil | 13/02/2020 - 11:20
Dólar à vista sobe até R$ 4,3830 com retomada da tensão com coronavírus

O dólar opera em alta ante o real e bateu máxima em R$ 4,3830 (+0,74%) no mercado à vista - novo recorde nominal do Plano Real -, sendo acompanhado pelos juros futuros em meio à retomada da tensão com o coronavírus. A moeda americana está forte também em relação a outras divisas emergentes ligadas a commodities, após investidores no exterior terem conduzido uma realização de ganhos mais cedo com o dólar ante o real.

O avanço no mercado doméstico vem após a defesa do dólar forte pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, que não considera o câmbio nervoso, e dos dados de serviços no país em dezembro melhores que o esperado.

Os números da pesquisa de serviços do IBGE vieram melhor que a mediana em dezembro na comparação mensal (-0,4%) e o de 2019 em linha com a mediana (+1,0%) e não devem gerar muitos ajustes em relação às apostas para política monetária, ficando em segundo plano, segundo um profissional de renda fixa.

Às 9h37 desta quinta-feira a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2021 estava em 4,245%, de 4,225% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2023 marcava 5,42%, de 5,37% no ajuste anterior. O vencimento para janeiro de 2025 exibia taxa de 6,09%, de 6,03% no ajuste de ontem. No câmbio, neste mesmo horário, o dólar à vista subia 0,56%, a R$ 4,3760. O dólar futuro para março avançava 0,46%, a R$ 4,3785.