Anterior

ANTERIOR

MEC discute novas formas de avaliar ensino superior

20/10/2020

Giro pelo Brasil

Witzel diz que seu impeachment `mata a democracia´: 'Quem serão os próximos?'

Governador afastado disse que vai enfrentar o processo de impeachment de cabeça erguida e que nunca compactuou com a corrupção durante sua vida

Fonte: O Dia / Com informações IG - Último Segundo / Foto: Cléber Mendes/Agência O Dia | 24/09/2020 - 15:00
Witzel diz que seu impeachment `mata a democracia´: 'Quem serão os próximos?'

O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), usou a sua conta oficial no Twitter nesta quinta-feira para comentar a aprovação do seu processo de impeachment por unanimidade pelos deputados estaduais da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) na noite de quarta. Witzel escreveu que sofre "um linchamento moral e político a partir da palavra, sem provas, de delatores, ou seja, de bandidos confessos".

"Afastar um governador do mandato da forma como fazem comigo hoje é matar a democracia. Quem serão os próximos? A escolha será do Ministério Público, com suas teorias especulativas que vendem jornais", disparou o governador afastado no Twitter.

Witzel disse enfrentar o processo de impeachment de cabeça erguida por nunca ter compactuado com a corrupção durante a sua vida e garantiu que irá provar a sua inocência. Nesse sentido, o governador afastado ainda fez críticas ao poder Judiciário.

"MP e Judiciário devem estar distantes do debate político. O MP não pode ditar políticas públicas nem decidir quem deve ou não exercer a função outorgada pelo voto popular. Se as casas políticas não reagirem, seremos todos governados por liminares e por especulações", disse.

"O estrago na minha imagem política foi feito. E, infelizmente, a Alerj, pressionada pelas redes sociais, está cometendo um grande erro, cuja História há de demonstrar", finalizou.