Anterior

ANTERIOR

Conheça o iraquiano que desafiou o Estado Islâmico com um blog anônimo sobre a cidade de Mossul

07/12/2017

Próximo

PRÓXIMA

Bomba explode em Roma e Itália investiga terrorismo

07/12/2017

Giro pelo Mundo

Marinha da Argentina rebate acusação de ministro sobre chamadas do submarino desaparecido

ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes a bordo no dia 15 de novembro

Fonte: G1 | 07/12/2017 - 11:00
Marinha da Argentina rebate acusação de ministro sobre chamadas do submarino desaparecido

A Marinha da Argentina rebateu nesta quarta-feira (6) a acusação do ministro da Defesa de que teria ocultado chamadas de emergência feitas pelo submarino ARA San Juan antes de desaparecer no Oceano Atlântico.

A empresa Tesacom, que audita as linhas de satélite de um dos sistemas usado pelo submarino, divulgou nesta terça que o ARA San Juan fez 8 chamadas antes de desaparecer. Após a divulgação da empresa, segundo o jornal “El Clarín”, o ministro da Defesa Oscar Aguad acusou a Marinha de ocultar que o submarino tenha reportado emergência e alertado problemas nessas chamadas, o que poderia ter gerado buscas mais rápidas.

No entanto, nesta quarta o porta-voz da Marinha, Enrique Balbi, disse que não foram chamadas de emergência, e que algumas delas, inclusive, não foram chamadas telefônicas, mas “tentativas de conexão com a internet”. Balbi já havia explicado que as chamadas divulgadas pela Tesacom englobam tanto chamadas de telefonia como de dados.

Balbi ressaltou que as principais informações foram divulgadas pela Marinha: "A respeito de todas essas comunicações, as principais foram informadas em tempo e em forma de Porto Belgrano às autoridades de Buenos Aires e ao Ministério da Defesas", disse.

O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes a bordo no dia 15 de novembro, quando navegava pelo Golfo de São Jorge. O submarino havia zarpado no domingo 11 de novembro de Ushuaia para retornar a Mar del Plata, sua base habitual. Em sua última comunicação, informou que uma entrada de água pelo sistema de ventilação provocou um princípio de incêndio na casa de baterias.