Anterior

ANTERIOR

OMS alerta para `taxas alarmantes´ de casos de covid na Europa

21/09/2020

Giro pelo Mundo

Com quase 2 mil casos diários, Israel fica perto do fechamento total

País tem enfrentado uma segunda onda de covid-19 pior que a primeira, enquanto a população apresenta resistência em meio a crise econômica

Fonte: R7 / Com informações EFE / Foto: Ammar Awad / Reuters - 03.04.2020 | 16/07/2020 - 14:35
Com quase 2 mil casos diários, Israel fica perto do fechamento total

Israel registrou nesta quinta-feira (16) quase 1,9 mil novos casos de infecção pelo novo coronavírus, o que, segundo as autoridades locais, deixaram o país muito perto de um fechamento total para tentar conter a onda de contágio.

O ministro da Saúde, Yuli Edelstein, admitiu que se for superada a marca de 2 mil casos diários, será necessário endurecer medidas de combate e afirmou que a decretação de confinamento para a população e paralisação de atividades econômicas é quase inevitável.

O titular da pasta, inclusive, chegou a dizer que "apenas um milagre", impediria a imposição destas medidas.

Na semana passada, algumas restrições foram impostas em Israel, como o confinamento de alguns bairros, o fechamento de bares, academias e piscinas públicas - essa última já derrubada, mas o impacto ainda não foi o esperado.

Durante esta segunda onda, que já supera a primeira, as autoridades locais estão enfrentando maior resistência da população, em meio a uma profunda crise econômica que é consequência da pandemia da covid-19.

O desemprego, que em fevereiro era de 3,3%, atualmente está em 21%. Nos últimos dias, sindicatos de trabalhadores, sobretudo autônomos, se manifestaram em peso, cobrando maior suporte econômico.

Nesta quarta-feira (15), o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, anunciou um pagamento único para toda a população, o que pode aliviar várias famílias. Críticos, no entanto, indicaram que o governo deveria se concentrar na situação dos mais carentes.

Ainda hoje, os ministros do governo se reuniriam com especialistas em Saúde e membros do Conselho de Segurança Nacional, para avaliar a situação atual no país e estudar possíveis medidas.