Anterior

ANTERIOR

OMS alerta para `taxas alarmantes´ de casos de covid na Europa

21/09/2020

Giro pelo Mundo

Níger decreta emergência em região onde franceses foram mortos

Governo nigerino estuda maneiras de aumentar a segurança na ro sudoeste do país onde seis franceses e dois moradores locais foram mortos domingo

Fonte: R7 / Foto: Reprodução via Reuters TV - 11.8.2020 | 11/08/2020 - 16:00
Níger decreta emergência em região onde franceses foram mortos

O presidente do Níger, Mahamadou Issoufou, decretou o estado de emergência no departamento de Kollo, na região de Tillabéri, no sudoeste do país, após o assassinato de seis franceses e dois nigerinos no domingo passado.

A decisão foi tomada na segunda-feira, durante o conselho extraordinário de defesa convocado pelo mandatário. Participaram da reunião o primeiro-ministro, os ministros de Defesa e Interior, e o chefe do Estado-Maior, além de representantes das Forças de Defesa e Segurança.

No encontro foram abordadas as operações de rastreamento realizadas pelas forças de segurança nigerinas em coordenação com as francesas de Barkhane.

Uma fonte explicou à Agência Efe que os efetivos nigerinos e franceses mataram vários supostos jihadistas envolvidos nos assassinatos e prenderam outros.

"O município de Kouré (no departamento de Kollo), onde ocorreu este drama, fica muito longe da fronteira com o Mali, motivo pelo qual os agressores não podem escapar facilmente de moto", detalhou.

Emergência fecha parque das girafas

Kollo era o único dos 13 departamentos da região de Tillabéri que não contava com o estado de emergência. O conselho também decidiu fechar momentaneamente o parque natural de girafas de Kuré, a 50 quilômetros da capital, ainda sem uma data de reabertura prevista.

O diretor-geral do Departamento de Turismo do Níger, Anafi Suleymane, afirmou que o ataque do último domingo foi "um duro golpe" para o setor turístico no país.

"A reserva natural de Kuré é um dos poucos destinos turísticos que estavam seguros no nosso país. O assassinato terrorista dos seis cidadãos franceses é um golpe devastador para o setor. Precisamos pensar em uma estratégia para garantir a segurança desses lugares para manter o rumo", argumentou.

Os seis franceses e um cidadão nigerino, membros da ONG francesa Acted, estavam acompanhados de um guia local e foram assassinados no domingo por um grupo terrorista enquanto se deslocavam à reserva natural de Kuré para observar as últimas girafas em liberdade na região.

A Acted anunciou nesta terça-feira (11) a suspensão temporária das atividades no Níger, mas enfatizou que não abandonará o país africano: "É nosso dever estar lá", disse a organização.

"Precisamos falar com os nossos colaboradores no Níger e nos países do Sahel. Vamos enviar uma delegação da sede para ter esse contato, que é muito importante. Um contato emocional, mas também frutífero para melhorar as coisas", comentou o diretor-geral da ONG, Frédéric de Saint-Sernin, à emissora "RFI".