Anterior

ANTERIOR

Rainha Elizabeth deixa residência pela 1ª vez desde início da pandemia

15/10/2020

Próximo

PRÓXIMA

Candidata a vacina da chinesa CNBG se mostra promissora em testes

16/10/2020

Giro pelo Mundo

UE e Reino Unido punem russos por envenenamento de Navalny

Seis autoridades apontadas como responsáveis pela tentativa de assassinato contra o opositor russo em agosto sofreram sanções em território europeu

Fonte: R7 / com informações Reuters / Foto: Shamil Zhumatov / Reuters - Arquivo | 15/10/2020 - 16:15
UE e Reino Unido punem russos por envenenamento de Navalny

A União Europeia e o Reino Unido impuseram sanções a autoridades russas de alto escalão próximas do presidente Vladimir Putin nesta quinta-feira (15), uma reação inesperadamente robusta e rápida ao envenenamento de Alexei Navalny, um dos principais nomes da oposição na Rússia, em agosto.

Pressionados pela França e a Alemanha, onde Navalny foi tratado depois de desmaiar em um voo saído da Sibéria, a UE e o Reino Unido visaram seis russos e um centro de pesquisa científica estatal.

O Kremlin repudiou as sanções, que considerou um passo deliberado e hostil contra Moscou, e prometeu retaliar.

Punição rápida

À diferença do envenenamento de Sergei Skripal, um ex-espião russo que vivia no Reino Unido em 2018, quando a UE levou quase um ano para punir agentes de inteligência militar, o bloco mirou autoridades que acredita terem planejado e ajudado a realizar o envenenamento.

Apesar da saída britânica da UE, Londres continua coordenando algumas sanções com o bloco, em parte para impedir que seus alvos transfiram suas posses, disseram diplomatas. As punições incluem congelamento de bens e a proibição de que eles entre nos territórios europeu e britânico.

Andrei Yarin, chefe do diretório de diretrizes presidenciais, Sergei Kiriyenko, primeiro vice-chefe de gabinete de Putin, Sergei Menyaylo, enviado de Putin à Sibéria, Alexander Bortnikov, diretor do Serviço Federal de Segurança da Rússia e dois vice-ministros da Defesa foram punidos.

França e Alemanha informaram que não receberam uma explicação crível de Moscou depois que a Organização para a Proibição de Armas Químicas encontrou o que disse ser o agente nervoso Novichok no corpo de Navalny.