CPADNews

Funcionário do correio que teria visto fraude volta atrás

Richard Hopkins teria dito que viu superiores discutindo um plano para atrasar a entrega das cédulas de votação, mas depois se retratou

Eleições nos EUA
Funcionário do correio que teria visto fraude volta atrás

Uma das testemunhas apresentadas pelo partido Republicano, de Donald Trump, no processo que alega suposta fraude na contagem de votos na Pensilvânia, voltou atrás. Após a abertura das investigações, ele admitiu que teria forjado as provas. A notícia é do Washington Post.

De acordo com o jornal, Richard Hopkins, um funcionário do serviço postal de Erie, Pensilvânia, afirmou que ouviu alguns de seus supervisores discutindo um plano para atrasar as cédulas de correio para o dia da eleição, o que poderia excluir algumas cédulas da contagem já que alguns estados não aceitam após o prazo.

O presidente do Comitê Judiciário do Senado, Lindsey Graham, então encaminhou o assunto ao Departamento de Justiça e FBI para investigação. Mas quando foi questionado por investigadores federais, ele voltou atrás em suas declarações.

O processo movido pela campanha de Trump utilizando como provas o funcionário tinha como objetivo impedir a certificação da vitória de Joe Biden no Estado. Contudo, a reviravolta pegou os integrantes do comitê de surpresa.

O Comitê de Supervisão da Câmara, em sua conta oficia no Twitter, afirmou que a testemunha havia mudado sua versão. "Os investigadores do IG informaram a equipe do Comitê hoje que entrevistaram Hopkins na sexta-feira, mas que Hopkins DESMENTIU SUAS ALEGAÇÕES ontem e não explicou por que assinou uma declaração falsa", diz trecho.

Mas o presidente Donald Trump, também nas redes sociais, compartilhou um vídeo de Richard Hopkins, no qual afirma que a testemunha não se retratou. "Bravo patriota. Mais e mais pessoas estão se apresentando para expor essa eleição fraudada", disse o twitt.

Mas a rede social marcou essa publicação do presidente dizendo que "a reclamação de fraude na eleição é contestada".