Anterior

ANTERIOR

Cristãos vivem ameaçados por grupo extremista islâmico no Quênia

29/05/2017

Universo Cristão

Cristãos são impedidos de protestar contra ataques, mas resistem: `Não vamos nos calar´

Com o aumento dos ataques de radicais hindus conta a minoria cristã, evangélicos de diversas denominações estão se unindo para protestar contra o governo que não está defendendo a básica condição de professar a fé

Fonte: Guia-me / com informações do site Hello Christian | 17/02/2017 - 14:00
Cristãos são impedidos de protestar contra ataques, mas resistem: `Não vamos nos calar´

No dia 21 de janeiro de 2017, radicais hindus atacaram o Dr. Kusuma Anjeneya Swamy, de 47 anos. Ele estava distribuindo o Novo Testamento em Hyderabad, Telangana (estado na Índia) quando diversos radicais começaram a assediá-lo fazendo com que ele fosse parar na delegacia. Horas depois ele estava com metade de seu corpo paralisado. Teria ele sofrido torturas? O governo não assume, mas as consequências estão aí para provar.

É que pouco depois de deixar a delegacia, o Dr. Swamy misteriosamente sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) que o levou a uma hemorragia cerebral. Ele está atualmente na unidade de terapia intensiva (UTI), inconsciente e paralisado de um lado de seu corpo, de acordo com o Persecution.org.

Em resposta ao ataque, cristãos se reuniram para protestar contra a o caso do Dr. Swamy. "Meu sangue estava fervendo quando vi o vídeo do evangelista Swamy sendo assediado e torturado durante o dia por distribuir o Novo Testamento", lamentou o bispo Wilson Singham em um protesto no dia 4 de fevereiro.

Manifestações

Centenas de manifestantes se reuniram em Andhra Christian Theological College, em Hyderabad. Esta foi apenas uma das várias manifestações em resposta à má condição de Swamy. O ataque ao evangelista está entre uma série de investidas de radicais hindus contra cristãos em Telangana. A International Christian Concern (ICC) registrou pelo menos oito incidentes de violência contra os cristãos que são minorias. E isso apenas nas primeiras semanas de 2017.

Outro caso

O reverendo Padma Rao, um pastor de 50 anos, também foi uma das vítimas de tais ataques. Ele disse à ICC: "Fui atacado várias vezes no passado, mas o ataque do dia 27 de janeiro foi algo que quase me matou", disse. A investida aconteceu enquanto ele estava indo orar por uma pessoa doente.

De acordo com os membros da família, o reverendo escapou por pouco. Membros do RSS, um grupo radical hindu, começou a dar socos repetidamente no homem, além de chutes no estômago e peito. Eles o pisotearam no chão depois que ele caiu. Rao foi hospitalizado com contusões em todo o seu corpo e com graves lesões internas.

Os cristãos estão ficando cansados de esperar pelo governo para que haja proteção ao direito de liberdade religiosa. "Jesus nos ensinou a ser uma comunidade amorosa pela paz", disse Austin, um líder de jovens e cantor cristão na cidade de Hyderabad. "Jesus nos disse para mostrar o outro lado da face se alguém bater do lado esquerdo. Mas Jesus também nos deu o exemplo de pegar um chicote para expulsar pessoas do templo. Não podemos mais ficar em silêncio, mas precisamos dar uma resposta apropriada àqueles que estão atacando pastores inocentes", ressaltou.

Milhares de cristãos estão pedindo ao governo que lembre do artigo 25 da Constituição da Índia que garante liberdade religiosa para todos os cidadãos. Reuniões e protestos massivos uniram diferentes denominações em todo o estado. Surendra Babu, presidente de uma organização local de ativistas de direitos humanos, disse à ICC depois de uma manifestação no dia 8 de fevereiro que "mais de 1 mil cristãos de todas as denominações e igrejas participaram do protesto pacífico e este é o primeiro da história de Nelore, onde todos os cristãos vieram juntos, apesar das diferenças denominacionais".

Censura e repressão

Tanto funcionários do governo como grupos hindus radicais estão tentando silenciar os manifestantes. Autoridades do governo se recusaram a permitir que um protesto começasse e prenderam quatro líderes cristãos que tentaram se manifestar no clube de imprensa de Hyderabad, há várias semanas.

Organizações hindus lançaram contra-protestos contra cristãos por supostamente realizar propagação religiosa, em Telangana. Os vídeos dos discursos de ódio dos contra-protestos estão circulando nas mídias sociais e isso ajuda a encorajar mais violência contra os cristãos.

A. Daniel, um ativista cristão, disse: "Estamos vivendo em um país secular e infelizmente temos que protestar e lutar por um direito fundamental: o direito à religião, que deveria ser garantido pela Constituição. O mais decepcionante é que estamos sendo negados o direito de realizar protestos pacíficos", pontuou.

A tendência de aumento dos ataques contra os cristãos é preocupante para os 2,3% dos indianos cristãos.