Anterior

ANTERIOR

Debate sobre `diversidade de gênero´ não é papel do MEC, segundo bancada evangélica

27/03/2017

Universo Cristão

Arqueólogos encontram evidências da vida e morte de Jesus em Israel

Entre os objetos descobertos estão pregos das crucificações, ossários com inscrições em hebraico, vasos, utensílios de cozinha e restos de lagares para o vinho

Fonte: Guia-me / com informações de The Times Of Israel e France Presse | 20/03/2017 - 14:30
Arqueólogos encontram evidências da vida e morte de Jesus em Israel

A Autoridade de Antiguidades de Israel apresentou neste domingo (19) dezenas de objetos datados no século I que permitem aos historiadores uma compreensão mais profunda sobre a vida e a morte de Jesus Cristo.

Entre os objetos descobertos recentemente na região de Jerusalém e na Galileia estão vasos, utensílios de cozinha, restos de lagares para o vinho, ossários com inscrições em hebraico e pregos das crucificações.

"Hoje podemos reconstruir, com precisão, muitos aspectos da vida diária do tempo de Cristo", disse Gideon Avni, diretor da divisão arqueológica da Autoridade de Antiguidades. "A cada semana, são descobertos novos elementos que permitem conhecer melhor este período".

Dentro de um armazém cavernoso onde são guardados alguns tesouros arqueológicos em Israel, há um antigo ossuário que contém o nome de Jesus. Segundo os arqueólogos, Jesus era um nome comum na Terra Santa há 2 mil anos — foram encontrados cerca de 30 ossuário inscritos com este nome.

No armazém de 5 mil metros quadrados, que abriga dezenas de jarros e cerâmicas antigas, os estudiosos conseguiram reproduzir uma mesa com achados do tempo de Jesus. Havia jarras e pratos de calcário que costumavam ser usados por judeus da época em Israel, como parte de sua prática para garantir a pureza dos alimentos.

Também foi apresentada um ossuário que pertencia a um descendente do sumo sacerdote Caifás, citado no Novo Testamento por entregar Jesus Cristo às autoridades romanas para ser crucificado.

Também foi exibida a réplica do osso de um calcanhar perfurado por um prego de ferro com fragmentos de madeira, encontrado dentro de um ossuário judaico no norte de Jerusalém, datado no século I. Até o momento, é a única evidência encontrada de uma vítima da crucificação romana, enterrada de acordo com os costumes judaicos.

Descobertas israelenses

Israel é um dos lugares mais escavados do mundo — mais de 300 escavações ocorrem a cada ano, incluindo cerca de 50 expedições de países estrangeiros como Estados Unidos e Japão, segundo a Autoridade de Antiguidades.

A cada ano, cerca de 40 mil artefatos são desenterrados em Israel. Um terço de todas as antiguidades encontradas confirmam a antiga presença de cristãos na Terra Santa, segundo Avni. Hoje, os historiadores sabem quanto tempo durou as viagens de Jesus entre cidades e aldeias e como era a aparência desses lugares na época.

COLUNISTAS