Anterior

ANTERIOR

Sacerdote deixa hinduísmo ao entrar em uma igreja pela primeira vez: `Senti o rio de Deus´

17/11/2017

Universo Cristão

Igreja perseguida no Sudão necessita de oração

Governo sudanês continua insistindo que a nação goza de liberdade religiosa, política e de imprensa

Fonte: Portas Abertas | 14/07/2017 - 17:00
Igreja perseguida no Sudão necessita de oração

Depois da importante entrevista cedida pela Meriam Ibrahim, no Parlamento Europeu, as autoridades sudanesas continuaram insistindo que a nação goza de liberdade religiosa e declarou, através do Ministério de Negócios Estrangeiros do Sudão, que a prova disto “está no fato de haver igrejas no país”. A declaração divulgada no dia 1 de julho acrescentou ainda que “não há nenhuma discriminação religiosa", pois o Sudão recebe milhares de refugiados “sem perguntar sobre suas crenças religiosas ou afiliações”.

Além disso, também afirmou que o país “está desfrutando de uma abertura sem precedentes e de uma atividade política e partidária, onde mais de 80 partidos políticos gozam de liberdade política”. Eles especificaram que a “liberdade de imprensa no Sudão é vivida por mais de trinta jornais políticos diários, que refletem diferentes pontos de vista, incluindo a oposição”. O Sudão é o número 174 (de 180 países) no Índice Mundial de Liberdade de Imprensa de 2017. Segundo o Repórteres Sem Fronteiras, o NISS (Serviço Nacional de Inteligência e Segurança) persegue jornalistas e censura a mídia impressa fechando jornais ou confiscando matérias inteiras.

O presidente do Sudão, Omar al-Bashir, ainda é procurado pelo Tribunal Penal Internacional por diversos crimes contra os direitos humanos, além de sustentar um governo que tem destruído igrejas e desrespeitado os direitos das minorias étnicas e religiosas no Sudão, país que ocupa o 5º lugar na atual Lista Mundial da Perseguição, onde muitos líderes cristãos enfrentam julgamentos por acusação de “ações contra o Estado”, incluindo “espionagem” e ainda “difamação ao governo”. O Sudão também é um dos sete países, cujos cidadãos estão proibidos de entrar nos Estados Unidos (juntamente com Iraque, Iêmen, Irã, Síria, Líbia e Somália). Continue orando pela Igreja Perseguida no Sudão.