Anterior

ANTERIOR

Irã vive o crescimento mais rápido da igreja clandestina, dizem cristãos

17/10/2018

Universo Cristão

Crianças em risco na Colômbia encontram futuro

Felipe seria uma vítima das guerrilhas, mas encontrou um abrigo e um sonho

Fonte: Portas Abertas | 13/06/2018 - 08:30
Crianças em risco na Colômbia encontram futuro

Neste mês de junho, duas datas referentes à proteção da criança se destacam. No dia 4 de junho, comemora-se o Dia Internacional da Criança Vítima de Agressão e no dia 12 de junho, o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil. Nesse contexto, lembramos que na Colômbia grupos guerrilheiros recrutam crianças para a guerrilha sob o pretexto de um futuro melhor, dinheiro e poder. Muitas vezes eles enganam as crianças, mas às vezes as obrigam a juntar-se a eles. Isso num ambiente em que a pobreza e a falta de oportunidades predominam.

Hoje você vai conhecer a história de Felipe*, um garoto de 16 anos que vive em um dos abrigos para crianças da Portas Abertas na Colômbia. Os pais dele o enviaram para lá, junto com o irmão Fabián, por causa do perigo de recrutamento forçado por grupos armados ilegais. Seus pais, Antônio* e Marina*, são pastores em uma zona de conflito. O próprio Antônio trabalhava no passado com cocaína, batia na esposa e nos filhos e bebia constantemente. “Mas Jesus veio à minha vida e eu tomei a decisão de mudar”, compartilha o pai. Com isso, começou a perseguição.

Livre das guerrilhas, livre para sonhar 

No começo do ministério pastoral, cinco anos após a conversão, Antônio começou a pastorear uma igreja que tinha sido fechada dois anos antes, e sabia que corria o risco de ser morto pelas guerrilhas. “Eu sabia que Deus tinha me enviado para lá e se meu destino fosse morrer por Cristo, eu morreria fazendo sua vontade”, compartilha. Desde então, grupos guerrilheiros ainda controlam a região com violência. Mas devido à resistência dos cristãos e de pastores como Antônio e Marina, a Igreja Perseguida da Colômbia sobrevive e se fortalece, pronta para encarar os desafios.

Felipe testemunhou o fiel trabalho e exemplo dos pais. No centro da Portas Abertas, ele recebeu apoio acadêmico e pastoral. Foi lá que seu sonho de se tornar missionário na Coreia do Norte nasceu e foi nutrido. Graças a Deus, Felipe teve um destino diferente, porque encontrou abrigo longe da ameaça das guerrilhas. Ore por tantas crianças em situação de risco em todo o mundo e, especialmente, na Colômbia. Que haja muitos “Felipes” que encontrem um destino diferente e um sonho a seguir.

* Nomes alterados por questão de segurança.