Anterior

ANTERIOR

ONU pode impedir transferência da embaixada do Brasil em Israel

18/12/2018

Universo Cristão

Exército transforma igrejas em `quartéis´, enquanto cristãos são massacrados em Camarões

Forças militares estão tentando conter grupos separatistas e cristãos estão sendo mortos em meio ao fogo cruzado

Fonte: Guia-me / com informações do Christian Post - Foto: Reuters/ Bate Felix | 07/12/2018 - 16:15
Exército transforma igrejas em `quartéis´, enquanto cristãos são massacrados em Camarões

Cristãos camaroneses estão clamando contra a violência em curso em seu país, onde as igrejas estão sendo transformadas pelo exército em quartéis militares e os crentes sendo massacrados.

"Precisamos de paz e da intervenção das Nações Unidas", disse um cristão metodista à agência 'Protestant Digital'. Sua identidade não foi revelada por razões de segurança. "Muitas pessoas morrem todos os dias, casas e aldeias são queimadas, há pessoas famintas e também aquelas que se refugiam na Nigéria. Nós não temos voz em nosso país".

A violência em questão decorre de protestos na região de língua inglesa do país, onde alguns grupos militantes criaram a autoproclamada República da Ambazônia, em oposição ao que eles dizem ser uma opressão do lado do país que fala francês.

Centenas de pessoas foram mortas este ano, enquanto dezenas de milhares foram forçadas a fugir como refugiados. Cerca de 50 escolas primárias e secundárias e hospitais cristãos foram afetados, enquanto pelo menos quatro igrejas foram convertidas em quartéis militares.

"Há frequentemente tiroteios entre diferentes forças, e uma bala perdida pode matar um menor", acrescentou o cristão.

Sequestros também têm ocorrido com frequência. 78 crianças foram levadas por homens armados das milícias de Ambazônia de uma escola dirigida pela Igreja Presbiteriana, mas foram devolvidas no início de novembro.

"Elas parecem cansadas e psicologicamente torturadas", disse Fonki Samuel Forba, moderador da Igreja Presbiteriana do país.

A escola presbiteriana disse que fechará devido a preocupações com segurança.

"É lamentável que tenhamos que fechar a escola e enviar 700 crianças para casa", disse Forba. "A segurança deles não é garantida pelo Estado e os grupos armados constantemente os atacam e sequestram".

O missionário americano Charles Wesco foi morto no final de outubro, quando foi pego em "fogo cruzado" entre o exército de Camarões e as forças separatistas de língua inglesa, informou o governo dos EUA.

A Wesco só se mudou para Camarões com sua família, que inclui oito crianças, no início de outubro, depois de vender a maior parte de suas posses nos EUA, para servir como missionários na Igreja Batista dos Crentes, em Varsóvia, Indiana.

Em outubro, por ocasião de um feriado bancário comunitário, Forba declarou em um comunicado:

"Dado o que a comunidade de língua inglesa está passando neste momento, não podemos ter uma celebração enquanto muitos dos filhos de Deus estão sendo mortos, sofrendo ou vivendo como refugiados internos ou externos. A ênfase deve ser colocada no fornecimento do Fundo de Trabalho para a Missão, para permitir que a igreja continue ajudando nossos pastores e irmãos deslocados pelo conflito armado que trouxe dor e sofrimento a muitos", explicou.