Anterior

ANTERIOR

Igreja é a instituição mais confiável para brasileiros

26/03/2019

Universo Cristão

Mais de 100 igrejas foram plantadas em 2018 na Coreia do Norte, mesmo com a perseguição

Missionários passam por treinamentos escondidos na China, onde também há forte repressão e perseguição religiosa

Fonte: Guia-me / com informações God Reports / Foto: Reprodução/Cornerstone Ministries | 15/03/2019 - 10:00
Mais de 100 igrejas foram plantadas em 2018 na Coreia do Norte, mesmo com a perseguição

Mais de 100 igrejas domésticas subterrâneas foram plantadas na Coreia do Norte pelos próprios norte-coreanos em 2018. Muitas nasceram de pessoas que foram treinadas na China, de acordo com um relatório da Cornerstone Ministries International.

Depois de se encontrar com seus missionários de campo, Peter Kim, da Cornerstone, disse ter ficado surpreso ao saber sobre mais de 75 plantas residenciais adicionais na Coréia do Norte, que já tinha 25. “Fiquei surpreso ao ver o que Deus fez em 2018", relatou.

Em 2018, a Cornerstone entregou 79.318 Bíblias para a Coreia do Norte, China, Mongólia, Vietnã, Irã, Turquia e Israel. “Aqueles que estão vivendo nessas nações são perseguidos por causa de Jesus Cristo e Seu Evangelho”, disse Kim.

A Cornerstone está se preparando ativamente para a futura abertura da Coreia do Norte. Eles lançaram recentemente uma universidade para treinar líderes em países restritos, como a Coreia do Norte e a China.

O Dr. Luis Bush concordou em ser o primeiro chanceler da universidade. Dr. Charles Weber, ex-professor da faculdade cristã Wheaton College e Rev. Sang-Bok David Kim, ex-chanceler do Trinity Seminary, também estão envolvidos.

Peter conta que mesmo com toda restrição, viu um vídeo tocante contrabandeado para fora do país, mostrando uma casa subterrânea com um pastor e sete outros crentes. “Esses crentes estavam bem vestidos para honrarem o Dia do Senhor”, observou ele.

Enquanto assistia ao vídeo, Peter Kim ficou emocionado e gritou: “Eles estão vivos!”. Ele contou que mesmo sem aquecedor na sala fria, “vi seus rostos brilhantes refletindo o calor do amor de Cristo”.

Ela relata que no vídeo, uma mulher começou a orar: “Senhor Jesus, você deu a cruz para mostrar seu amor por mim. Foi pregado com uma coroa de espinhos, derramando sangue do seu corpo, e você foi para o Calvário por mim. Eu estarei atento ao seu amor e suportarei a cruz até que minha vida esteja nesta terra e eu estarei com você...”

Peter diz que ela não conseguiu terminar a oração, quando começou a soluçar, com suas lágrimas “fluindo como um rio”.

“Eu notei outros se juntando a ela chorando também. Eu vi uma outra senhora que estava sentada ao lado desta soluçando, enxugando as lágrimas com um lenço gasto”, observou Peter Kim.

Ele conta que quando uma segunda mulher começou a orar “Há muitas almas que estão morrendo na terra deserta”, os sons de choro ficaram altos e a oração ficou mais alta. “Mas eles perceberam que tinham que conter suas vozes. Depois que eles se acalmaram, a oração continuou”, disse.

Orando por liberdade

“Neste domingo, estamos orando escondidos e orando com lágrimas, chamando-o de nosso Pai. Venha logo, para podermos segurar as mãos das crianças para ir à igreja livremente”, pediu uma cristã.

Peter Kim conta que ficou impressionado com a maturidade dos crentes norte-coreanos, assistiu ao vídeo. “O nível de oração deles não era uma oração cristã imatura, mas uma oração muito devota, madura e forte de crente”, observou ele.

Ele disse ver claramente que aquelas pessoas conheceram o Evangelho e sabiam por que Jesus morreu na cruz. “Elas desejam ser obedientes e viver fielmente mesmo sob condições tão severas, já que se eles forem pegos, irão para campos de prisioneiros políticos por pelo menos 15 anos sem nenhum julgamento”, disse.