Anterior

ANTERIOR

Pastor é libertado após 16 anos de prisão por defender a liberdade religiosa, no Vietnã

26/03/2020

Próximo

PRÓXIMA

EDITORIAL: Apoio às medidas do Presidente Bolsonaro no combate ao coronavírus

26/03/2020

Universo Cristão

Cristão egípcio é sequestrado e morto por grupo radical na Líbia

O egípcio seguidor de Jesus trabalhava na Líbia para sustentar mãe e irmãos

Fonte: Portas Abertas | 26/03/2020 - 17:00
Cristão egípcio é sequestrado e morto por grupo radical na Líbia

Em locais onde os princípios islâmicos são radicais, os cristãos enfrentam maior perseguição. Eles podem ser alvos de extremistas em casos de sequestros e até morte, caso não neguem seguir a Jesus. O egípcio Romany Adly foi morto na Líbia. Desde 2014, ele trabalhava no país para sustentar a mãe e os irmãos.

Todos os dias, o cristão costumava entrar em contato com os familiares, porém a comunicação parou. Então, a família acionou as autoridades líbias para entender o que estava acontecendo. Depois de dois meses, o governo líbio informou que Adly foi sequestrado por um grupo radical islâmico. Ele foi torturado para deixar de seguir a Cristo, mas como não renunciou à fé, foi enforcado.

No dia 19 de março de 2020, o corpo do cristão voltou para o Egito. Ele foi enterrado no cemitério da aldeia de Shamiya, na província de Assiut no dia seguinte. A Líbia é o 4º país mais perigoso para os seguidores de Jesus, garante a Lista Mundial da Perseguição 2020. A opressão islâmica, o antagonismo étnico, a corrupção e o crime organizado foram os causadores do aumento da violência no país.  

Pedidos de oração

- Interceda pelos familiares de Romany Adly, para que eles sejam consolados por Deus. Peça que o Senhor também supra as necessidades materiais, emocionais e físicas de cada integrante.
- Ore pelos cristãos que estão em poder de grupos islâmicos. Que eles tenham paz e sejam libertos, e que mesmo presos, testemunhem o amor de Jesus.
- Clame para que os integrantes dos grupos radicais tenham os intentos frustrados e encontrem a Cristo. Para que ao invés de perseguirem os cristãos, se juntem na propagação do evangelho.