CPADNews

Banco Central regulamenta Pix Saque e Pix Troco

Novas modalidades estarão disponíveis na próxima segunda (29)

Banco Central regulamenta Pix Saque e Pix Troco

Nesta sexta-feira (26) foi publicada no Diário Oficial da União, a resolução do Banco Central (BC) que altera o regulamento do Pix, sistema de pagamentos instantâneos, para a inclusão das modalidades de saque e de troco, que já estarão disponiveis ao público na próxima segunda-feira (29).

Agora, os comerciantes, redes de caixas eletrônicos compartilhados e participantes do Pix, poderão oferecer o  Pix Saque e Pix Troco por meio de seus próprios serviços de autoatendimento. O saque funciona da seguinte maneira, o cliente deverá fazer um Pix Saque para o estabelecimento que oferece o servico, em dinâmica similar à de um Pix normal, a partir da leitura de um QR Code ou a partir do aplicativo do prestador do serviço, e receberá o valor em espécie.

Já o Pix Troco, tem uma dinâmica muito parecida, mas é realizado durante o pagamento de uma compra no estabelecimento, quando o cliente deseja além de pagar, sacar um valor adicional. O pagamento total será da compra + saque, e sairá detalhado no extrato do cliente.

Em relação ao limite máximo diário das transações do Pix Saque e do Pix Troco, será de R$ 500,00 durante o dia, e de R$ 100,00 no período noturno (das 20h às 6h). E não haverá cobrança de tarifas para até oito transações mensais.

De acordo com o BC, o comerciante que disponibilizar o serviço, receberá uma tarifa que varia de R$ 0,25 a R$ 0,95 por transação nas operações do Pix Saque e do Pix Troco, a depender da negociação com a sua instituição de relacionamento.

O BC afirma que a oferta dos dois novos produtos é opcional, e a decisão de oferecer ou não o serviço, será dos estabelecimentos comerciais, empresas proprietárias de redes de autoatendimento e instituições financeiras. Porém destaca, que a oferta do serviço "diminuirá os custos dos estabelecimentos com gestão de numerário, como aqueles relacionados à segurança e aos depósitos, além de possibilitar que os estabelecimentos ganhem mais visibilidade para seus produtos e serviços (‘efeito vitrine’)”, diz a entidade.

 

Redação CPAD News/ Com informações Agência Brasil - Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil