CPADNews

Coreias testam mísseis e ampliam corrida armamentista

Testes foram feitos nesta quarta-feira

Coreias testam mísseis e ampliam corrida armamentista

Nesta quarta-feira (15), as Coreia do Norte quanto a Coreia do Sul testaram mísseis balísticos em uma corrida armamentista, que rsulta no desenvolvimento de armas cada vez mais sofisticadas, por ambos países.

A Agência Brasil noticiou, que a Coreia do Sul testou um míssil balístico lançado de submarino (SLBM), tornando-se o primeiro país sem armas nucleares a desenvolver esse sistema, e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, estava acompanhando o teste quando se soube dos lançamentos norte-coreanos, seus primeiros testes com mísseis balísticos desde março.

As autoridades da Coreia do Sul e do Japão afimaram que, poucos dias depois de testar um míssil de cruzeiro, que se acredita ter capacidade nuclear, a Coreia do Norte lançou um par de mísseis que caíram no mar, no litoral leste.

"A Coreia do Norte lançou dois mísseis balísticos não identificados da região de sua ilha central rumo ao litoral leste. Autoridades de inteligência da Coreia do Sul e dos EUA estão realizando analises detalhadas para obter maiores informações", disse o Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul (JCS) em comunicado.

A JCS relatou que os mísseis foram lançados pouco antes da 0h30 (horário local), percorrendo 800 quilômetros (km), a uma altitude máxima de 60 km.

O Comando Indo-Pacífico dos militares dos EUA  afirmou que os lançamentos de mísseis da Coreia do Norte não representaram uma ameaça imediata ao seu pessoal, território ou aliados, mas que mostram o impacto desestabilizador do programa de armas.

Segundo a Reuters, o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, teria classificado os lançamentos como "ultrajantes", e os criticou duramente por vê-los como uma ameaça à paz e à segurança da região.

A Reuters afirmou que a Coreia do Sul tem feito um grande investimento em uma série de sistemas militares, que inclui mísseis balísticos, submarinos e seu primeiro porta-aviões. A nova aposta defende a política de uma península coreana desnuclearizada, e a não proliferação de armas nucleares.

 

CPADNews/ Com informações Agência Brasil e Reuters - Foto: Pixabay.com