CPADNews

França proíbe linguagem neutra de gênero em escolas por ser prejudicial às crianças

O Ministério da Educação emitiu um decreto para as escolas do país impedindo o uso da linguagem neutra

França proíbe linguagem neutra de gênero em escolas por ser prejudicial às crianças

A França proibiu o uso da linguagem neutra de gênero em suas escolas, afirmando que a nova prática prejudica o aprendizado das crianças.

O Ministério da Educação emitiu um decreto para as escolas do país num esforço para acabar com a linguagem neutra usada através de pontos nas terminações masculinas e femininas das palavras da língua francesa.

“A escrita dita 'inclusiva' deve ser evitada, que usa o ponto médio para revelar simultaneamente as formas feminina e masculina de uma palavra usada no masculino quando é usada em um sentido”, afirma o decreto.

O documento também acrescenta: “Além disso, essa escrita, que resulta na fragmentação de palavras e acordos, constitui um obstáculo para a leitura e compreensão da palavra escrita. A impossibilidade de transcrever verbalmente textos com esse tipo de escrita dificulta a leitura em voz alta, bem como a pronúncia e, consequentemente, o aprendizado, especialmente para os mais novos”.

Em entrevista ao Le Journal du Dimanche, o ministro da Educação da França, Jean-Michel Blanquer, disse que a linguagem neutra de gênero é um problema para os estudantes, principalmente para aqueles com dificuldades de aprendizado.

“Colocar pontos no meio das palavras representa uma barreira para o ensino da língua francesa", afirmou.

A Academia Francesa, a instituição encarregada de preservar o idioma, também se posicionou contra o emprego da “linguagem inclusiva”, declarando ser prejudicial à prática e à compreensão da língua. 

 

Fonte: Guiame / Com informações The Christian Post / Foto: Divulgação/Internet (20.05.21)