CPADNews

Pregador de rua preso na Inglaterra é indenizado por violação da liberdade de expressão

O pregador David McConnell foi preso em 2019, na Inglaterra, sob a falsa acusação de perturbação pública relacionada a discurso de ódio, feita por pedestres que o importunavam

Pregador de rua preso na Inglaterra é indenizado por violação da liberdade de expressão

Um cristão que foi preso enquanto pregava na rua, na Inglaterra, foi indenizado por violação da sua liberdade de expressão e por prisão injusta, depois que ele processou um departamento de polícia.

Um Tribunal do Condado de Liverpool concedeu uma indenização de 4.500 dólares ao cristão David McConnell, que foi preso pela Polícia de West Yorkshire em dezembro de 2019, sob a falsa acusação de perturbação da ordem pública relacionada a discurso de ódio e por pregar contra o aborto e os direitos da população LGBT+.

Segundo o The Christian Institute, que apoiou o pregador no caso, David estava pregando o Evangelho em local público quando alguns transeuntes começaram a importuná-lo, o interrogando sobre sexualidade e aborto, apesar do cristão não ter citados os temas durante sua pregação.

Então, ele foi preso e levado para a delegacia de polícia de Huddersfield. David permaneceu detido durante seis horas, sem acusação. Depois que um sargento da polícia ouviu a gravação de sua pregação na rua e viu que não havia cometido nenhum crime, o cristão foi libertado.

“Esta foi uma clara violação dos direitos humanos de McConnell e uma falha em seguir as leis que regem a prisão e detenção. A polícia de West Yorkshire fez a coisa certa ao admitir a responsabilidade e o tribunal emitiu uma sentença a favor do Sr. McConnell”, afirmou o vice-diretor de Relações Públicas do The Christian Institute, Simon Calvert.

Para Simon, o caso “reafirmou o valor e a importância da liberdade de expressão”. “Os pregadores de rua cristãos têm tanto direito legal de falar em público quanto qualquer outra pessoa”, concluiu.

O juiz do caso concordou: “A liberdade de expressão inclui não apenas o inofensivo, mas também o irritante, o contencioso, o excêntrico, o herético, o indesejável e o provocador, desde que não tenda a provocar violência. Não vale a pena ter liberdade apenas para falar inofensivamente”.

David disse que não culpa a polícia por responder à chamada, “mas eles deveriam ter perguntado sobre o meu lado da história, em vez de apenas me prender”.

De acordo com o pregador, os policiais não o informaram porque estavam lhe prendendo. “Qualquer pessoa que já assistiu TV sabe que a polícia tem que dizer a você qual lei supostamente violou, mas esses policiais nunca o fizeram. Eles apenas disseram 'quando você chegar à custódia, nós explicaremos por que você foi preso'”, disse David.

McConnell relata que foi uma experiência muito angustiante, mas que agora pode deixar o caso para trás.

“Devo dizer que, quando estou pregando agora, a polícia em Huddersfield é muito boa comigo. Estou feliz por poder continuar a compartilhar as boas novas de Jesus Cristo”, concluiu o pregador.

 


Fonte: Guiame/ Com informações do The Christian Post - Foto: The Christian Institute