CPADNews

Governo de Mianmar quer retomar o poder dos militares

Uma revolta democrática foi anunciada e os cristãos temem pelo futuro da nação

Governo de Mianmar quer retomar o poder dos militares

O presidente interino do Governo de Unidade Nacional de Mianmar, Duwa Lashi La, anunciou, no dia 7 de setembro, que se revoltará contra o governo militar que tomou conta do país desde fevereiro.  Ele convocou os cidadãos a iniciarem uma revolta nacional em cada aldeia e cidade em uma "guerra defensiva". Enquanto se preparam para mais conflitos no Dia D, os cristãos temem pelo futuro do país e pedem orações:

"Desde o início do golpe, o povo de Mianmar tem sofrido com instabilidade e violência. Igrejas foram destruídas em ataques - tanto em ataques aéreos quanto em ataques terrestres - e uma sensação de medo nos cobriu. Agora que o governo democrático anunciou o Dia D, estamos prontos para enfrentar ainda mais derramamento de sangue. Não temos certeza de quanto tempo essa luta vai durar, mas por favor, mantenham nosso povo em suas orações. Por favor, não se esqueçam de nós", compartilhou Lwin*.

IDesde a tomada militar, Mianmar tem vivido momentos caóticos. Para alguns cristãos, a luta constante se tornou o novo normal. "O anúncio do Dia D não é chocante para mim, pois tenho ouvido sobre explosões de bombas. Eu não sei quanto poder e armas o Governo de Unidade Nacional ou o povo tem, e quanto tempo a luta continuará ou durará", finalizou Fal*, um cristão local,.

 

*Nomes alterados por segurança. 

 

Da Redação do CPAD News / Com informações Portas Abertas (14.09.21)