CPADNews

Organizações cristãs relatam perda de contato com cristãos que permanecem no Afeganistão

Ministérios que trabalham com a igreja clandestina do país têm se esforçado para evacuar os cristãos em risco, mas em muitos casos, não conseguem retorno na comunicação com eles

Organizações cristãs relatam perda de contato com cristãos que permanecem no Afeganistão

Se antes, com o domínio das forças armadas norte americanas, os cristãos já viviam de forma secreta por enfrentar intensa perseguição no Afeganistão, agora com o retomada do poder do Talibã, a situação está cada vez pior. 

A Mission Network News (MMN) relatou recentemente que as comunidadades cristãs clandestinas, estão perdendo contato com suas redes dentro do país. Segundo a organização missionária, um funcionário da Forgotten Missionaries International (FMI), informou a falta de notícias de um afegão, que estuda no Paquistão, e teria retomado ao Afeganistão em agosto, com o objetivo de evangelizar.

"Ele esteve conosco nos últimos meses. Disse no mês passado que estava indo para o Afeganistão para fins de evangelismo. Já se passou mais de uma semana desde que perdemos contato", disse Neemias, da FMI, ao MMN.

Nessas últimas semanas, os ministérios que trabalham com a igreja clandestina do país têm se dedicado incansavelmente para evacuar os cristãos em risco. Em muitos casos, no entanto, os ministérios relatam não conseguem obter retorno na comunicação com suas redes e parceiros no país.

As notícias que chegam sobre os cristãos no afegão, estão sempre envolvendo ameaças, perseguição e violência. O FMI relatou que o Talibã está de olho nos seguidores de Cristo, e que alguns têm recebido cartas ameçadoras.

“Um homem recebeu uma carta dizendo que sua casa agora pertence ao Talibã. Ele é um homem simples que faz artesanato, e todas as suas economias estão em sua casa. O Taleban tomará a propriedade e os bens dos cristãos", afirmou Neemias ao MMN.

Estima-se que cerca de 99% da população no Afeganistão é muçulmana, e a comunidade cristã local é praticamente composta por convertidos do Islã. De acordo com a International Christian Concern (ICC), os cristãos estão em uma margem de 8 a 12 mil pessoas no país, o que os torna um dos maiores grupos da minoria religiosa.

No Afeganistão, deixar o Islã é considerado extremamente vergonhoso, e isso faz com que os convertidos se tornem alvos diretos de perseguição tanto por grupos extremistas, quanto pela sociedade em geral. Por isso, muitos cristãos afegãos mantém sua fé em segredo, pois se descobertos, tendem a enfrentar terríveis consequências, incluindo a pena de morte, prevista na lei sharia.

 

CPAD News/ Com informações International Christian Concern (ICC) - Foto: Pixabay.com