CPADNews

Youtuber cristão é acusado de `blasfêmia´ e torturado em prisão na Indonésia

Muhammad Kace está preso desde agosto, quando um grupo de muçulmanos o denunciou por supostamente insultar o islã em seus vídeos

Youtuber cristão é acusado de `blasfêmia´ e torturado em prisão na Indonésia

Muhammad Kace é um cristão, ex-muçulmano, que compartilha sua fé através dos vídeosz publicados no seu canal do Youtube. Ele está preso desde agosto, após ser acusado de blasfêmia contra o islã e o Profeta Muhammad, por um grupo de muçulmanos.

A polícia aceitou a acusação, e considerou que o cristão blasfemou em 400 vídeos, levando-o preso. No entando, o youtuber denuncia ter sido torturado tanto por outros prisioneiros, como por um policial de alta patente, Napoleão Bonaparte, condenado por suborno.

Segundo o UCA News, o diretor geral de crimes da polícia nacional, Andi Rian Djadji, Bonaparte chegou a confessar que espancou e torturou o cristão, cobrindo seu rosto e corpo com fezes humanas, durante o interrogatório da investigação. 

Em 19 de setembro, Napoleão então confessou publicamente o crime, em uma carta aberta, que afirmava que, como muçulmano, não aceita ver sua religião sendo insultada.

“Qualquer um pode me insultar, mas não contra meu Alá, o Alcorão, o Profeta e minha fé islâmica. Portanto, eu juro que tomarei qualquer ação medida contra qualquer um que se atrever a fazê-lo”, escreveu o policial.

O advogado e coordenador do Fórum de Advocacia e Direitos Humanos dos Bispos da Indonésia, Azas Tigor Nainggolan, ressaltou que não existe justificativa aceitável para a tortura, e condenou a violência contra Muhammad Kace como um caso à parte.

 

CPAD News/ Com informações Guiame, International Christian Cocern  e UCA News - Foto: Reprodução Youtube