CPADNews

Ataques de grupo extremista aumentam na República Democrática do Congo

Cerca de 750 pessoas foram mortas desde maio

Ataques de grupo extremista aumentam na República Democrática do Congo

A população da República Democrática do Congo (RDC) é composta por maioria cristã, mas nem por isso estão lives da Perseguição religiosa. Ao longo de anos, cristãos vem sendo atacados, sequestrados e mortos por membros da Forças Democráticas Aliadas (ADF, da sigla em inglês), um grupo extremista islâmico.

As comunidades no Leste tem sofrido constantes ataques, e só no início de setembro, foram registrados ao menos, 30 mortos na província oriental de Ituri. No dia 29 de agosto, o grupo também atacou uma aldeia no território de Beni, em Kivu do Norte, e matou cerca de 19 pessoas. Em julho, pelo menos 90 civis foram mortos na mesma região. Desde maio deste ano, aproximadamente 750 pessoas foram mortas.

95% da população do país segue o Cristianismo, então a maioria dos mortos são cristãos. De acordo com a Portas Abertas, a ADF além da perseguir religiososa, também segue uma agenda expansionista islâmica, na qual, treinam e enviam jihadistas para outros países da África. 

“É um lembrete do que está acontecendo em outras partes da região central do Sahel. Pense em grupos como o Boko Haram no Nordeste da Nigéria, por exemplo. A ideologia, a agenda de estabelecer um califado na região e a forma como operam é a mesma, e podemos ver como eles impõem sofrimento terrível a pessoas inocentes”, compara um parceiro da Portas Abertas.  

 

CPAD News/ Com informações Portas Abertas - Foto: Portas Abertas