CPADNews

Pelo menos 12 civis mortos por jihadistas na República Democrática do Congo

Nação predominantemente cristã tem sofrido com a formação de dezenas de milícias armadas, que tentam criar um califado islâmico na África Central

Pelo menos 12 civis mortos por jihadistas na República Democrática do Congo

Forças Democráticas Aliadas (ADF), afiliada do ISIS, atacaram casas em aldeia no território de Beni, na província de Kivu do Norteas na República Democrática do Congo, e deixaram ao menos 12 mortos, neste domingo (10).

De acordo com os relatos de fontes à International Christian Concern (ICC), os rebeldes queimaram diversas casas durante o ataque na aldeia de Mambuo, antes das Forças Armadas da RDC (FARDC) chegarem ao local e controlarem a situação.

A República Democrática do Congo é uma nação predominantemente cristã, e tem sofrido com a formação de dezenas de milícias armadas, que têm o objetivo principal de criar um califado islâmico na África Central.

Segundo a Human Rights Watch (HRW), entre 6 de maio e 10 de setembro,  “vários grupos armados - alguns dos quais permanecem não identificados - mataram pelo menos 672 civis, e as forças de segurança congolesas mataram 67 outros nas províncias de Ituri e Kivu do Norte”, afirmou a organização internacional não governamental que defende e realiza pesquisas sobre os direitos humanos.

De acordo com a Lista Mundial da Perseguição de 2021, divulgada pela Portas Abertas, a RDC está em 40º lugar,entre os países com maior perseguição cristã.

“Essas comunidades predominantemente cristãs são atacadas por um grupo extremista islâmico com uma clara agenda expansionista islâmica”, afirmou o porta-voz do Portas Abertas, Illia Djadi, em referência ao grupo rebelde.

 

CPAD News/ Com informações International Christian Concern (ICC) - Foto: Pixabay.com