CPADNews

Cristã é cercada por destruição, mas não perde a fé no amor de Deus

Nazek teve fé e acreditou que Deus poderia mudar a vida dela e dos familiares na Síria

Cristã é cercada por destruição, mas não perde a fé no amor de Deus

Durante a guerra na Síria muitas famílias perderam tudo que tinham conquistado ao longo da vida. Nazek ficou sem casa, emprego e renda, e se viu obrigada a se mudar de Irbin para Damasco, em busca de viver em um lugar seguro.

Com toda essa transfomação radical na vida dos sírios, os relatos de traumas são extensos e muitas vezes irreparáveis. O marido do Nazek enfrentou uma depressão, ao passar por esse momento tão difícil, e o que sustentou sua família, foi a esperança e a fé em Deus da cristã.

Após se mudarem, eles passaram a viver na casa da mãe da cristã. “Meu marido estava em choque. Ele não podia aceitar a mudança, caiu em depressão. Eu costumava acordar à noite ouvindo ele chorar. Tentei confortá-lo, mas ele não tinha esperança”, conta Nazek à Portas Abertas.

Após seis anos sob o controle rebeldes, as forças russas controlaram a região de Irbin novamente, e Nazek retornou à cidade. Se reerguer não seria uma tarefa fácil, e ela já não podia mais contar com o marido para ajudar no sustento da casa, foi então que, a cristã resolveu agir pela fé, e com a ajuda do Projeto Geração de Renda, da Portas Abertas, ela iniciou seu próprio negócio, uma loja de roupa feminina.

Nazek conta que durante esse process, ela preservou o propósito que tinha em seu coração: “Durante o tempo frio, eu vinha a Irbin para preparar a loja. Tive que pegar ônibus diferentes para chegar aqui, esperei na chuva e no frio, mas sabia que precisava ter paciência e tinha que ser forte para passar pelo processo de preparação. Graças a Deus, ele abençoou meus esforços”, afirma.

Nazek é um exemplo de fé para as pessoas que vivem em Irbin. A Portas Abertas compartilhou que ela tem ajudado na reconstrução do país e conta o segredo de manter a esperança mesmo nas dificuldades: “A oração é a fonte da minha esperança. A paz que recebo quando estou na igreja me fortalece e isso me dá conforto interno e otimismo para o futuro”.

 

CPAD News/ Com informações Portas Abertas - Foto: Portas Abertas