CPADNews

Dois cristãos no Paquistão são mortos a tiros em disputa religiosa

Sobreviventes pedem que culpados sejam levados à justiça

Dois cristãos no Paquistão são mortos a tiros em disputa religiosa

A International Christian Concern (ICC) compartilhou na última terça-feira (12), a notícia do assassinato de dois cristãos no Paquistão. Segundo as informações, eles foram mortos a tiros por uma multidão de muçulmanos após uma disputa de propriedade que se tornou religiosa.

Yaqoob Masih e seu irmão, Haroon Masih, foram baleados e mortos, no dia 8 de outubro, por muçulmanos enfurecidos na Vila # 2A, localizada no distrito de Okara. 

“Uma família muçulmana tinha ódio religioso contra nós e outros cristãos que viviam na aldeia. Eles nunca gostaram do desenvolvimento dos cristãos na aldeia e, portanto, se opuseram a nós em conseguir um contrato de um pedaço de terra para cultivo", relatou Indriyas Masih, uma testemunha ocular e sobrevivente do ataque, ao ICC.

Os cristãos haviam feito um pedido de arrendamento de seis acres de terra para cultivo, o que deixaram os muculmanos muito irritados. Após meses de discussão, as autoridades locais resolveram a questão, e concederam o arrendamento do terreno.

Indriyas conta que no dia do incidente, ele e mais quatro crisatãos foram para os campos agrícolas realizar o trabalho de irrigação, quando uma multidão de mais de duas dúzias de homens armados os atacaram, e provocaram a morte de Yaqoob e Haroon.

Nove membros da multidão armada foram identificados. As testemunhas afirmam que eles gritavam slogans anticristãos ao abrirem fogo contra os cinco cristãos. Segundo a ICC,  a polícia registrou um First Information Report (FIR # 363/21) contra os agressores.

Defensores dos direitos humanos na região, afirmam que o ataque mortal foi o resultado de intolerância religiosa desenfreada contra as minorias no Paquistão, e agora esperam que os culpados sejam levados à justiça.

“Os cristãos são tratados como escravos ligados aos muçulmanos. Os cristãos não desfrutam de direitos, dignidade e proteção neste país. O sistema geral da sociedade é baseado no ódio religioso contra os cristãos e outras minorias” , explicou Asif Muniwar, um defensor dos direitos humanos.

 Muniwar afirma que medidas práticas devem ser tomadas pelo governo, afim de fornecer segurança aos cristãos e garantir justiça para as vítimas de Okara e suas famílias.

A intolerância religiosa e a discriminação generalizada contra as minorias religiosas no Paquistão, fortalecem os confrontos violentos entre as comunidades muçulmanas e cristãs. Os muçulmanos se aproveitam da lei de blasfêmia, para acusar falsamente os cristãos paquistaneses para acertar as contas da perseguição, ou incitar brigas, protestos, e até esses casos de linchamentos e assassinatos na comunidade.

Os cristãos representam atualmente, apenas 1,6% da população do país, e são tratados como cidadãos de segunda classe. Na maioria das vezes não conseguem obter justiça em casos de violência de motivados por intolerância religiosa.

O Gerente Regional da ICC para o Sul da Ásia, William Stark, comentou com tristeza, o assassinato dos dois dois cristãos:

“ Nós aqui da International Christian Concern estamos profundamente tristes pelo assassinato de Yaqoob e seu irmão Haroon. Nossos pensamentos e orações vão para suas famílias. Também estamos preocupados com outro incidente de violência mortal motivado pela intolerância generalizada que existe contra os cristãos no Paquistão. O Paquistão deve fazer mais para combater o extremismo e a intolerância que motivam incidentes anticristãos como este. Ninguém deve ser tratado como cidadão de segunda classe simplesmente por causa da fé que professa. No Paquistão, no entanto, a fé que você professa afeta drasticamente a forma como você é tratado pela sociedade. ” 

 

CPAD News/ Com informações International Christian Concern (ICC) - Foto: ICC