CPADNews

Milhares de cristãos na Índia manifestam contra a aprovação da proposta de lei anticonversão

Mais de 6 mil se manifestam em favor da liberdade religiosa no país

Milhares de cristãos na Índia manifestam contra a aprovação da proposta de lei anticonversão

Uma manifestação pacífica nesta segunda-feira (25), reuniu mais de 6 mil cristãos no estado indiano de Karnataka, protestando contra uma onda de perseguição e a proposta de promulgação de uma nova lei anticonversão.

Nos últimos meses, foi registrado um aumento considerável de ataques contra cristãos e seus locais de culto, como resultado do apoio público do governo, liderado pelo BJP.

Os manifestantes se reuniram na cidade de Hublie, e caminharam cerca de três quilômetros segurando cartazes e gritando slogans em apoio à liberdade religiosa na Índia. Segundo a International Christian Concern (ICC), ao terminar o manifesto, um memorando ao ministro-chefe de Karnataka foi submetido às autoridades locais pedindo a proteção das igrejas e a libertação do pastor Somu Alwadi, que atualmente está preso sob falsas acusações de conversão forçada.

“Há duas exigências diretas no memorando. O governo deve garantir a segurança das igrejas e cristãos e que o pastor Somu Alwadi deve ser libertado”, disse o pastor Som Shaker ao ICC.

De acordo com relatos de cristãos locais, nacionalistas hindus radicais atacaram a igreja Assembléia de Deus, liderada pelo pastor Alwadi, no dia 17 de outubro, interrompendo o culto e agredindo membros da congregação.

As testemunhas afirmaram que, com a chegada da polícia na igreja, os radicais exigiram a prisão imediata do pastor Alwadi, alegando falsamente que ele estaria envolvido em atividades ilegais de conversão.

“O incidente do pastor Alwadi é um dos vários incidentes que ocorreram no distrito de Hublie e em Karnataka. O estado dos ataques contra os cristãos pode ser atribuído à decisão do governo do BJP de trazer uma lei anticonversão", afirmou um líder cristão à ICC, solicitando que seu nome não seja revelado.

O Conselheiro dos Bispos Católicos da Região de Karnataka disse em uma carta ao Ministro-Chefe, sobre o seu temor caso a lei siga oprovação. “Se o projeto de lei for aprovado na Assembleia e traduzido em lei, tememos que ele dê lugar a conflagrações comunitárias descontroladas em grande escala. Os elementos marginais e as forças comunitárias serão soltos e farão justiça com as próprias mãos".

Os nacionalistas radicais alegam que massas de hindus de casta inferior estão sendo convertidas ao cristianismo e ao islamismo por meios ilícitos, e que a lei deve ser promulgada para impedir que isso aconteça. Porém, essas falsas alegações tem aumentado cada vez mais a perseguição às minorias religiosas.

De acordo com o Artigo 25 da constituição da Índia, é direito do cidadão, professar, praticar e propagar livremente a religião de sua escolha. Mas, as leis anticonversão limitam este direito constitucional, pois exige que o indivíduo tenha sua conversão aprovada pelo governo. E os indivíduos de baixa casta, enfrentam uma repressão governamental, caso se convertam do hinduísmo para o cristianismo ou islamismo, com a perda de benefícios.

 

CPAD News/ Com informações International Christian Concern (ICC) - Foto: Ilustrativa/ Pixabay.com