CPADNews

Defensores de direitos permanecem presos após suspensão do estado de emergência do Egito

Leis repressivas permanecem após passo insuficiente em direção à liberdade religiosa

Defensores de direitos permanecem presos após suspensão do estado de emergência do Egito

No último dia 25 de outubro, o presidente egípcio Abdel Fattah El-Sisi, suspendeu o estado de emergência do país, que estava em vigor desde abril de 2017. No entanto, o os casos de abuso dos direitos humanos cometidos pelo governo nesse período, como as prisão injustas e detenções de defensores dos direitos humanos e da liberdade religiosa, não foram revistos, e eles continuam presos.

De acordo com a International Christian Concern (ICC), os cidadãos detidos não devem mais ser julgados em tribunais de emergência, já que a extensão do estado de emergência foi revogada. Porém, a organização que monitora a perseguição religiosa no mundo, ressalta que há muitos ativistas que foram presos antes, ainda enfrentam os mesmos julgamentos.

Esse é o caso do cristão copta Patrick Zaki, que foi detido pelas autoridades por 21 meses, devido a um artigo que ele postou detalhando sua própria experiência como copta vivendo no Egito. Zaki enfrenta acusações de “espalhar notícias falsas”, e deve comparecer a um tribunal de emergência no dia 7 de dezembro, cujos veredictos não estão sujeitos a apelação. O cristão foi notificado, recentemente, que será transferido para uma nova prisão em breve, o que poderá pioriar ainda mais suas condições de vida.

Desde abril de 2017, os tribunais de emergência julgaram pelo menos 146 casos, e segundo a ICC, as estimativas são de que haja cerca de 60 mil oponentes do regime presos. 

Assim como Zaki, que é pesquisador da Iniciativa Egípcia pelos Direitos Pessoais (EIPR), o diretor e fundador do EIPR Hossam Bahgat, o ex-parlamentar Zyad El-Elaimy, os políticos Hisham Fouad e Hossam Moanis e o advogado de direitos humanos Hoda Abelmoneim, também estão entre outros prisioneiros de consciência que enfrentam julgamentos injustos nos tribunais de emergência.

 

 

CPAD News/ Com informações International Christian Concern (ICC) - Foto: Ilustrativa/ Pixabay.com