CPADNews

Jornalista cristão é preso por cobrir perseguição no estado de Kaduna, na Nigéria

Doze estados nigerianos encorajam ou permitem a implementação da lei criminal da Sharia

Jornalista cristão é preso por cobrir perseguição no estado de Kaduna, na Nigéria

Após reportar sobre a perseguição aos cristãos no estado nigeriano de Kaduna, Luka Binniyat, porta-voz da Southern Kaduna Peoples Union (SOKAPU) e jornalista cristão foi detido e preso.

De acordo com relatos de fontesque estão em contato com a família de Binniyat, o comissário de Segurança Interna e Assuntos Internos do Estado Kaduna, Samuel Aruwan, teria ordenado a prisão de Binniyat por ter noticiado a morte de 38 cristãos, assassinados por militantes Fulani.

Binniyat conversou com um contato da International Christian Concern (ICC), via WhatsApp, e afirmou: “Eles me trouxeram para Barnawa Chief Magistrate Court Kaduna e me prenderam em uma pequena prisão abarrotada de alguns criminosos de aparência endurecida” , disse ele.

Ele relatou ter sido contrabandeado para o centro de detenção da polícia em Gabasawa depois de quatro dias sem julgamento. "[Fui mantido] em condições desumanas. Ainda estou para ser levado perante um juiz. Temo que minha vida esteja em perigo. Acabei de conseguir este telefone”, contou ele em mensagem.

Segundo a ICC, Aruwan alegou, Em uma entrevista coletiva no domingo, que Binniyat citou o senador estadual Danjuma Laah, afirmando que Aruwan estava sendo usado para encobrir um genocídio contra cristãos no sul de Kaduna.

“Gostaria de me dirigir a vocês esta tarde sobre as recentes alegações perturbadoras feitas contra mim, no valor de difamação de caráter, falsidade injuriosa e incitação à perturbação pública. Minha atenção foi atraída para uma publicação online de autoria de Luka Binniyat. Nesta publicação, o Sr. Binniyat citou o senador Danjuma Laah do Distrito Senatorial de Kaduna do Sul, afirmando que estou sendo usado para encobrir um genocídio contra os cristãos no sul de Kaduna, disse Aruwan. 

O senador Danjuma Laah negou ter feito a declaração atribuída a ele, no entanto, a citação em questão foi: “O governo do estado de Kaduna está usando Samuel Aruwan, um cristão, para causar confusão e encobrir o genocídio que está ocorrendo em Kaduna do sul cristão, descrevendo o massacre como um 'confronto'”.

Em 2019, Steven Kefas, um outro jornalista, foi preso em Kaduna por comentar sobre um político na área do governo local de Kajuru. Agora, ele avaliou a situação de Binniyat. “Prender Luka significa desligar uma voz poderosa em SOKAPU. Sua abnegação fará falta. Um grande vácuo foi criado. Quem sabe - essa pode até ser a real intenção de seus carcereiros", afirmou Kefas. 

“Os carcereiros de Luka também estão acorrentados - eles também estão na prisão porque suas consciências estão presas. Eles também precisam de liberdade assim como Luka e acredite em mim, suas correntes são mais pesadas e sua prisão mais dura do que a de Luka ... Finalmente, esta é outra lição para todos nós. Nunca confie em um político. Sua integridade é como a onda do mar. Eles só valorizam você quando podem usá-lo, mas quando as coisas estão ruins, você está por conta própria”, acrescentou o jornalista,  fazendo uma breve visão geral da situação instável no estado de Kaduna.

De acordo com um relatório publicado recentemente pela ICC, os doze estados do centro e do norte da Nigéria encorajam ou permitem a implementação da lei criminal da Sharia e o uso de tribunais da Sharia para fazer cumprir os códigos religiosos islâmicos. Kaduna é um dos estados que usa a lei Sharia.

O relatório também destaca a recente repressão do governador de Kaduna, Nasir El-Rufai, à expressão religiosa, quando ressuscitou o Conselho Regulador de Pregação Inter-religiosa, da era militar para regular a pregação e o pastorado.

A ICC ressalta que, apesar de El-Rufai apresentar a medida regulatória como uma providência para reduzir a violência religiosa, ele próprio tem uma história preocupante de alimentar a tensão religiosa. Em um tweet postado em 8 de setembro de 2014, ele chegou a dizer que os cristãos estavam por trás do Boko Haram, financiando e controlando-o “para manchar o nome do Islã”. Em seu antigo tweet, ele acusou a Associação Cristã da Nigéria (CAN) e outros cristãos de estarem por trás de atentados e tiroteios em igrejas específicas. Vale frisar que, longe de ser uma fachada para o CAN, o Boko Haram é um grupo terrorista islâmico com fortes laços com o Estado Islâmico.

 

CPAD News/ Com informações International Christian Concern (ICC) - Foto: Google.maps