CPADNews

Departamento de Estado dos EUA condena ataques a igrejas e casas no estado de Chin, em Mianmar

Em declaração, Departamento faz apelo à comunidade internacional, para que a junta seja responsabilizada pelas violações dos direitos humanos

Departamento de Estado dos EUA condena ataques a igrejas e casas no estado de Chin, em Mianmar

Uma declaração foi emitida recentemente pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos, em condenação aos ataques da junta militar birmanesa contra civis no estado de Chin, Mianmar.

Em documento, os EUA afirmam que estão “gravemente preocupados com relatos de graves violações dos direitos humanos que as forças de segurança birmanesas perpetuaram no Estado de Chin”. O Departamento destacou uma preocupação especial, em relação a destruição de mais de 100 casas, bem como de igrejas cristãs, executada pela junta.

De acordo com o Departamento de Estado, as ações da junta “[desnudaram] o completo desrespeito do regime pela vida e pelo bem-estar do povo da Birmânia”. E foi feito um apelo à comunidade internacional, para que a junta seja responsabilizada pelos seus atos e enfim cesse com essas violações dos direitos humanos.

Os EUA também se dirigiram à junta em pedido pelo fim da violência, libertação dos detidos e restauração da democracia e da paz em Mianmar.

O Departamento conclui a declaração com a promessa de responsabilizar os perpetradores da violência e de continuar a apoiar o povo de Mianmar, “e todos aqueles que trabalham para a restauração do caminho democrático na Birmânia e uma resolução pacífica para a crise”, afirma o texto.

Para ler a declaração na íntegra, em inglês, clique aqui.

 

CPAD News/ Com informações International Christian Concern (ICC) - Foto: Pixabay.com