CPADNews

Ministro de igreja na China é detido por ser associado à outros cristãos

Província no Norte da China, Shanxi, está rapidamente se tornando uma das regiões mais difíceis para o cristianismo no país

Ministro de igreja na China é detido por ser associado à outros cristãos

No último dia 21 de novembro, An Yankui, um ministro da Igreja Reformada de Sião em Taiyuan, capital da província de Shanxi, e mais um cristão, foram levados para a delegacia, e mantidos detidos, pela polícia chinesa.

De acordo com uma fonte do ChinaAid, no início desta semana, a "convocação" dos cristãos está sendo associada a cinco colegas de trabalho do campus Fenyang da Igreja Reformada de Taiyuan Zion, que foram presos em julho deste ano. Conforme o relato, as autoridades descobriram a participação do pequeno grupo em uma “Conferência Evangelho e Cultura 2020”, organizada pelo pastor Stephen Tong Tjong Eng em Kuala Lumpur, na Malásia, no início do ano passado.

No dia 28 de julho, quando retornaram para a China, a polícia prendeu os cinco cristãos, acusando-os de ter cometido um crime. Apesar de todos os membros terem entrado na Malásia legalmente, com passaportes emitidos pela República Popular da China, as autoridades chinesas alegaram que os membros da igreja estavam “cruzando a fronteira nacional ilegalmente".

Segundo as informações da ChinaAid, o caso dos cristãos ainda  não teve andamento, mas o ministro An Yankui foi detido sob a mesma acusação absurda. O fato dele ter mantido laços estreitos com a Early Rain Covenant Church e o pastor Wang Yi, o transformou em alvo para o Departamento de Assuntos Étnicos e Religiosos de Shanxi, do Departamento de Segurança Nacional e do Departamento de Segurança Pública. 

O pastor Wang Yi, assim como muitos cristãos, foi detido no centro de detenção devido a acusações forjadas. A ChinaAid alerta ainda que nesse período, outras igrejas em Shanxi foram perseguidas, alguns ministros e fiéis leigos foram presos e detidos sob falsas acusações de "fraude", "cruzar ilegalmente a fronteira nacional", "posse ilegal de itens que disseminam terrorismo e extremismo".

De acordo com Portas Abertas, por conta da intensa pressão do governo exercida cada vez mais sobre os cristãos, a China saltou seis posições na atual Lista Mundial da Perseguição, em relação à listagem de 2020, estando agora na 17ª posição. Com isso, a província do Norte da China, Shanxi, está rapidamente se tornando uma das regiões mais difíceis para o cristianismo no país. 

 

Redação CPAD News/ Com informações ChinaAid  e Portas Abertas - Foto: Reprodução/ ChinaAid