CPADNews

2021 foi o `ano mais violento´ para os cristãos na Índia

Registros de incidentes violentos de perseguição cristã superaram o recorde anterior de 2019

2021 foi o `ano mais violento´ para os cristãos na Índia

De acordo com informações da United Christian Forum (UCF), 2021 foi considerado o “ano mais violento” da história registrada para a minoria cristã da Índia. Os registros mostram 486 incidentes violentos de perseguição cristã, o que supera o recorde anterior de 328 incidentes registrados em 2019.

Em toda a Índia, houveram diversos relatos de ataques contra cristãos e seus locais de culto, ao longo do ano de 2021. No entanto, os incidentes aumentaram drásticamente no último trimestre, com cerca de 200 incidentes relatados.

A proliferação contínua do nacionalismo hindu radical na Índia vem sendo culpada pelo aumento constante da perseguição, por alguns especialistas que afirmam que a retórica anti-minoritária e as ações tomadas por nacionalistas hindus radicais estão alimentando uma atmosfera de ódio e violência para os cristãos na Índia.

“A atmosfera de ódio espalhada por certas ações e discursos de certos grupos e a falsa propaganda de meios de conversão fraudulentos e sedutores parecem encorajar elementos anti-sociais`, afirmou a UCF, em um recente comunicado à imprensa.

“Não será exagero se disser que esses incidentes são atos bem orquestrados e pré-planejados por certos grupos investidos para dividir o país com base na religião", concluiu a organização.

Conforme observou a International Christian Concern (ICC) nos 486 incidentes relatados pela UCF, quase todos foram provocados por multidões de vigilantes, compostas por extremistas religiosos. Na maioria dos ataques às comunidades cristãs, as autoridades locais, incluindo a polícia, eram espectadores passivos ou participantes ativos da violência. Segundo a Organização que monitora a perseguição religiosa, "os primeiros relatórios de informação (FIRs), documentos policiais que iniciam uma investigação, foram registrados em apenas 34 dos 486 casos relatados pela UCF em 2021", afirmou.

Se a perseguição cristã permanecer no mesmo ritimo acelerado em 2022, é possível que este ano seja tão violento quanto o último, mas ainda há esperanças de que as estatísticas diminuam.

 

CPAD News/ Com informações ICC - Foto: Pixabay.com