CPADNews

Cristã assistiu à decapitação do marido, mas não perdeu a fé

Mulheres e crianças presenciaram ataques em Moçambique

Cristã assistiu à decapitação do marido, mas não perdeu a fé

No início de 2021, um grupo de insurgentes atacou uma aldeia de pescadores no Norte de Moçambique e diversos moradores foram brutalmente assassinados. De acordo com informações, os criminosos são suspeitos de participarem do grupo jihadista Al-Shabaab.

O ataque, que pegou todos de surpresa, no momento em que os homens estavam pescando e as mulheres e crianças estavam na aldeia fazendo suas tarefas. Só homens foram mortos, mas as mulheres e criança sofreram com torturas, e foram forçadas a assistir o assassinatos de seus familiares.

Após o incidente, as sobreviventes fugiram para outra cidade em busca de segurança, sem levar seus pertences, mas com as sequelas do que viveram. As mulheres ficaram ainda, sobrecarregadas por terem "muitas bocas para alimentar".

Clique aqui, e assista ao vídeo com o depoimento de Lorena, que apesar dos meses, ainda chora ao recordar o ataque a sua aldeia. Ela afirma que sua fé em Deus permanece. “Eu não confio em mais ninguém, apenas em Deus e Jesus Cristo. Porque ele não me deixou. Ele mantém a mim e a minha família, por causa disso ainda estamos vivos.”

Segundo seu relato à Portas Abertas, Lorena chegou a ficar 22 dias sem se alimentar, durante a caminhada pela floresta, quando fugia dos criminosos. Ela disse que se apegou à fé e pensava o tempo todo no quanto os filhos precisavam dela. De acordo com a Portas Abertas, ela e sua família integram o grupo de 4 mil pessoas deslocadas que a Organização conseguiu apoiar com ajuda emergencial, neste ano de 2021.  


*Nome alterado por segurança. 

 

CPADNews/ Com informações Portas Abertas - Foto: Representativa/Reprodução Portas Abertas