CPADNews

Cerca de 60 pessoas são mortas na Nigéria

Autoridades anunciaram que gangues criminosas serão denominadas como grupos terroristas

Cerca de 60 pessoas são mortas na Nigéria

Durante o deslocamento de sede de uma gangue liderada por Bello Turji, no estado nigeriano de Zamfara, houve uma ataque e ao menos 60 pessoas morreram.

De acordo com o relato da Portas Abertas, os criminosos, fortemente armados e levando os gados que roubaram nos últimos anos, atravessaram a área de várias aldeias, atirando contra civis.

Segundo o jornal Daily Trust, fontes locais teriam afirmado que o líder do grupo e seus homens foram deslocados por caças da Força Aérea da Nigéria. Conforme o relato, os bandidos estavam na floresta Fakai, na área do governo local de Shinkafi, e migram para o Sul de Zamfara, um local com florestas densas. O grupo criminoso, que é formado por centenas de bandidos, foi localizado e estava sendo bombardeado pela Força Aérea nigeriana.

Portas Abertas destaca que o grupo de criminosos foi, recentemente, contatado para que libertassem os cerca de cinquenta aldeões sequestrados com objetivo de solicitar resgate. A realocação da sede do grupo e o ataque, acontecem dias após as autoridades locais anunciarem que essas gangues serão denominadas oficialmente, como grupos terroristas.

A decisão dará ao governo mais possibilidades de intervir com o exército contra as gangues fortemente armadas. A Nigéria tornou-se um dos países onde os cristãos são mais perseguidos, e durante os últimos anos, foram formados "pequenos exércitos" de grupos criminosos no Noroeste do país. Os grupos abusam dos aldeões da região, roubam seus gados e já controlam grandes extensões de terra. Quando não roubam, cobram impostos dos aldeões, sob ameça de morte. 

 

CPAD News/ Com informações Portas Abertas - Foto: Reprodução Portas Abertas