CPADNews

Político cristão na Indonésia enfrenta prisão por discurso de ódio

Ferdinand Hutahaean teve publicação no Twitter denunciada à polícia, e foi detido

Político cristão na Indonésia enfrenta prisão por discurso de ódio

Nesta última segunda-feira (10), um político protestante indonésio foi preso acusado de fazer comentários ofensivos contra o Islã, no Twitter. Ferdinand Hutahaean, do partido democrata, pode ser condenado a 10 anos de prisão.

O tweet, publicado no dia 4 de janeiro, foi denunciado por dois indivíduos, e dizia: “É uma pena que seu Deus seja evidentemente fraco [e] deva ser defendido. Meu Deus é incrível, [ele] é tudo. Ele é sempre meu defensor, e meu Deus não precisa ser defendido”.

Posteriormente, Hutahaean publicou um vídeo em que se desculpa pelo tweet anterior, e afirma que se tratava de “um diálogo imaginário entre meu coração e minha mente”, sem qualquer relação com um determinado grupo ou religião. No entando, Ferdinand Hutahaean foi nomeado como suspeito de um discurso de ódio, pela Agência de Investigação Criminal da Polícia Nacional, e detido após horas de investigação.

De acordo com a International Christian Concern (ICC), o cristão será mantido no Centro de Detenção da Sede da Polícia, por 20 dias para garantir que não escape ou destrua provas. Porém, a acusação pode lhe render uma pena máxima de 10 anos.

A ação da polícia foi apoiada pelo secretário-geral do Conselho Regional do Corpo de Ex-alunos da Associação de Estudantes Islâmicos (MW Kahmi), Jaya, M. Amin, que declarou: “Não tire sarro de Etnia, Religião, Raça e Relações Intergrupais (SARA). Além disso, o nome de Allah definitivamente não deve ser jogado com ele. Devemos cuidar uns dos outros em meio à pluralidade desta nação, que tanto amamos. Diferentes religiões são obrigadas a respeitar umas às outras".

O caso de Hutahaean se compara aos dos cristãos Joseph Suyardi e Muhammad Kace, que recentemente também foram presos e detidos sob acusação de insulto ao Islã nas redes sociais. A Indonésia é um país de maioria muçulmana, e está em 47º lugar na Lista Mundial da Perseguição Religiosa 2021, publicada pela Portas Abertas.

A ICC destaca que, enquanto os não-muçulmanos são facilmente alvos e acusados de blasfêmia na Indonésia, os muçulmanos que cometem ofensas semelhantes dificilmente recebem qualquer punição por suas ações.

 

CPAD News/ Com informações International Christian Concern (ICC) - Foto: Shutterstock