CPADNews

28 pessoas são assassinadas em ataque jihadista à comunidade cristã do Sudão do Sul

Cerca de 57 casas foram incendiadas por extremistas islâmicos

28 pessoas são assassinadas em ataque jihadista à comunidade cristã do Sudão do Sul

Ao menos 28 pessoas foram mortas e 57 casas incendiadas, por extremistas islâmicos durante um ataque à comunidade cristã de Yith Pabol, no Sudão do Sul, no início de janeiro. As informações são da Barnabus Fund, uma agência internacional de ajuda cristã interdenominacional, que apoia cristãos em situação de discriminação ou perseguição por causa de sua fé.

O bispo Joseph Mamer Manot compartilhou com a Barnabus Fund, que a situação humitária da população local é alarmante. De acordo seu relato no dia 6 de janeiro, o ataque fez com que as pessoas se deslocassem em massa em busca de abrigo, ficando sem comida e sem bebida segura, pois seus alimentos e propriedades foram incendiados.

A International Christian Concern (ICC) informou que um ataque semelhante ocorreu na mesma semana na aldeia vizinha de Miodol, que deixou pelo menos quatro pessoas mortas e três outras desaparecidas.

O Sudão do Sul é uma nação de maioria cristã que conquistou a independência em 2011, tornando-se o país mais jovem do mundo e que está atolado em uma guerra civil desde o início.

Em agosto de 2021, duas freiras foram baleadas e mortas a sangue frio por jihadistas enquanto dirigiam pela rodovia Juba-Nimule, no Sudão do Sul.

“O Islã está agora invadindo o Sudão do Sul. Eles estão dizendo que o Sudão do Sul é um lugar estratégico e que [ele] será o portão para a África [para que] o Islã possa ir para toda a África”, afirmou um cristão ao Mission Network News após os assassinatos devastadores.

 

 

CPAD News/ Com informações International Christian Concern (ICC) - Foto: Shuttestock